Itinerância América Latina 2016

Uma jornada pela América Latina, em busca da origem dos alimentos e sementes tradicionais que conectam os povos originários.


De onde viemos, para onde queremos ir?

Na inspiração de um modelo de comunidade que luta e resiste pela soberania alimentar, consciente de sua liberdade por uma alimentação saudável sem a influência da indústria química-farmacêutica. Negando as corporações da doença que nos impõe alimentos nutritivamente pobres, marcados pelo domínio dos transgênicos e agrotóxicos.
Uma sociedade que valoriza a conexão com a beleza da natureza e segue os ciclos da lua para se orientar com relação aos tempos de suas práticas agrícolas e culturais. Não apenas vislumbrar ou explorar, mas integrar.
Um indivíduo humano que define valores por conhecer seu lugar como parte de um sistema harmônico entre animais, vegetais e microorganismos, formando o macro-organismo deste planeta, Terra.


Histórias, sabedoria e conexão entre os povos tradicionais da américa latina através das sementes.

O coletivo Raiz das Imagens se une ao projeto Multiplica! para uma itinerância que percorreu várias comunidades tradicionais e rurais do Brasil e América Latina, cruzando a Bolívia rumo ao Vale Sagrado no Peru. Visitando, convivendo e compartilhando junto aos “hermanos”  que ainda mantém viva a história de suas sementes milenares, como o milho, a batata, o amendoim e outros alimentos com história, livres e fundamentais para nossa soberania alimentar.
São centenas de diferentes etnias, muitas vezes pouco valorizadas, com sua identidade, idioma e sabedoria, resistindo em uma sociedade, cada dia menos capaz de ver sociobidiversidade.
Na rota pelas origens e conexões destes povos através das sementes, algumas importantes comunidades onde estivemos compartilhando conhecimentos foram Guaraní Mbya, Xavantes, Quilombolas, Guaraní Kaiowá, Quechuas, Aymaras, alem de diversos camponeses com enorme riqueza cultural.
Pessoas que talvez saibam pouco de “nossos” livros, mas sabem ler o mundo.


Foram 2 etapas entre abril e outubro de 2016
BRASIL
São Paulo,SP – Conexões e Feiras de sementes
-Parelheiros, SP – Aldeia Kalipety (Povo Guaraní Mbya)
-Maricá, RJ – Aldeia Kanguy Porã (Povo Guaraní Mbya)
-Armação dos Búzios, RJ – Quilombo de Baia Formosa
-Teresópolis, RJ – Feira de Sementes (Feira Agroecológica)
-Carmo da Cachoeira, MG – Comunidade Luz Figueira
-Uberlândia, MG – Feira de Sementes (UFU)
-Alto Paraíso de Goiás, GO – Assentamento Silvio Rodrigues
-Brasília, DF – Conexões e Feiras de sementes
-Planaltina, DF – Assentamento Pequeno William
-Nova Xavantina, MT – Aldeia Ripá (Povo Xavante)
-Barra do Garças, MT – Flor de Ibez (Centro de Permacultura)
-Campo Grande, MS – Conexões e Feiras de Sementes; Participação na Praça Bolivia Tikay
-Juti, MS – Participação na Feira de sementes crioulas; Participação na Caravana Agroecológica
-Dourados, MS – Povo Kaiowá Guaraní; Vivência com banco de sementes na Aldeia Bororó
-Bonito, MS – Conexões
-Miranda, MS – Povo Terena; Troca de sementes na Aldeia Mãe Terra; Visitas a Aldeia Charqueado, Aldeia Babaçú, Aldeia Lagoinha
BOLIVIA
-Samaipata, Santa Cruz – Vivência com banco de sementes e agricultura regenerativa na Comunidad de Paredones
-Toro-Toro, Potosi – Trocas de sementes com diversas comunidades da região
-Rancho Pampa, Potosi – Experiência em cultivo de papaya e agricultura organica com familias Quechua; Projeção e troca de sementes
-Villa Tunari, El Chapare – Troca de sementes com camponeses
-Cochabamba – Investigação e busca de material genético
-Copacabana, La Paz – Vivência com banco de sementes e agricultura regenerativa com a comunidade
-Ilha do Sol, Titicaca – Troca de sementes com camponeses
PERU
-Urubamba, Valle Sagrado – Oficina sobre sementes e plantio com crianças do local
-Pisac, Valle Sagrado – Visita e troca de sementes com agricultores na comunidade de Maska
-Ollantaytambo, Valle Sagrado – Troca e sementes com agricultores; Investigação e busca de material genético
-Maras, Cusco – Troca e sementes com agricultores; Investigação e busca de material genético


Faça parte, você é muito importante

Estes coletivos atuam desde 2012 apenas com apoio e contribuição de pessoas que acreditam.
Para novas itinerâncias é fundamental sua sugestão de lugares e comunidades. Aceitamos contribuição financeira, possíveis acomodações, pontos de apoio ou caronas.

Sugestões
email: rodrigo@multiplica.org
mensagem: fb.com/multiplicasabedoria
fb.com/raizdasimagens

Doações
Como apoiar


Centenas de povos, um só caminho

Origens: Qual a relação entre os diferentes povos através das sementes e do alimento?
Identidade: Como são selecionadas as variedades de uma mesma espécie, marcando diferentes características de interesse na seleção de cada comunidade?
Sociobiodiversidade: No aspecto cultural, como são as músicas, cantos e os rituais que se relacionam com o plantio, colheita e celebração dos alimentos cultivados e nativos de cada região?


Somos todos os elementos, somos planta

Os agrotóxicos agem lentamente destruindo insetos e microorganismos, sem eles não sobrevivemos, a saúde do solo é nossa única esperança.
Solo e planta formam uma unidade no ciclo da vida. A planta capta a energia livre do cosmos, a luz solar, e a transforma em energia química, com a ajuda da água, gás carbônico e minerais. Por isso, os povos nativos bolivianos ainda dizem que “somos feitos de sol (energia livre), chuva (água) e terra (minerais) com a ajuda das plantas.”


Entre novos aprendizados, seguimos atuando e oferecendo

  • Os bancos de multiplicação de sementes
  • As projeção de filmes sobre agroecologia, diferentes culturas e sustentabilidade
  • As conversas e debates com troca de conhecimentos
  • A Feira de troca de sementes crioulas e nomeação de novos guardiões
  • A oficina do “berço de abundância” para criação do banco de sementes e vivificação do solo de forma agroecológica
  • Os registros audiovisuais da memória cultural e práticas intuitivas e milenares


Viver da terra, com a terra, pela terra

Sim, as sementes!
Nelas está a seta.
Voam com o vento.
Não projetam o seu destino.
Sabem que ele existe e confiam.
Deixaram sua origem,
mas trazem dela a essência,
no interior.
Sua única bagagem é a promessa.
Por essa promessa partem,
por ela vivem, por ela morrem
e por ela fazem surgir novas vidas.
(Trigueirinho)

Deixar uma resposta